A Prótese da Anca

  

A prótese da anca (artroplastia de substituição da anca)  é uma das cirurgias mais gratificantes na cirurgia ortopédica moderna. Na actualidade, em Portugal são efectuadas cerca de 12.000 próteses da anca por ano.

As razões para esta intervenção são patologias da anca, causadoras de desgaste articular (artrose da anca) e consequentemente, dor, rigidez, deformidade, encurtamento do membro inferior e claudicação. O principal motivo que leva um paciente a decidir pela cirurgia é a dor. 

O momento para a cirurgia é decidido pelo doente, de acordo com o seu sofrimento e com a perda de qualidade de vida, podendo ser efectuada em qualquer idade

Sintomas da Artrose da Anca - A Coxartrose

  • dor na anca
  • rigidez da perna
  • deformidade
  • encurtamento da perna
  • claudicaçao

Temos assistido a uma evolução enorme a nivel tecnico e nas tecnicas cirurgicas nos últimos anos:

Evolução Técnica (nos implantes)

•   Há múltiplos tipos de implantes variando no desenho (forma), no material e no revestimento. Os implantes podem ser fixados ao osso  com ajuda de "cimento ósseo" (próteses da anca cimentadas) ou de forma biológica (próteses da anca não cimentadas)

Evolução nas equipas cirúrgicas (cirurgia/médicos/enfermeiros)

•   Evolução na técnica cirúrgica, com tendência para abordagens menos agressivas (incisões pequenas), recuperação mais fácil e mais rápida.

•    Coordenação interdisciplinar verdadeiramente eficaz com o objectivo ultimo do bem estar do paciente.

Evolução nos pacientes

•   Doente mais informado, mais exigente e também mais colaborante.

Com os modelos atuais, uma prótese da anca bem efectuada, uma técnica cirúrgica rigorosa, apresenta sobrevidas (prótese bem funcionante e bem implantada) aos 20 anos superiores a 85%.

Todo utente portador de uma prótese da anca poderá ter necessidade de trocá-la, total ou parcialmente. A este procedimento chama-se "Revisão de Prótese da Anca". As cirurgias de revisão são em geral mais complexas tanto para as equipas cirúrgicas como para o paciente.

Após a falência de uma prótese da anca, quanto mais tempo passa, mais difícil e complicada se torna a sua revisão, dado o habitual desgaste progressivo do osso. Os utentes devem recorrer a uma avaliação periódica com imagem de Rx e quando aparecem sinais de falência, deve ser considerada a cirurgia de revisão da protese da anca. O momento da "prótese total da anca primaria" é decidido pelo paciente. A cirurgia de "revisão da prótese da anca" é decidida pelo cirurgião (por vezes com o doente ainda sem sintomas).

No caso de haver infeção (contaminação da prótese da anca com bactérias), a revisão é efectuada muitas vezes em 2 tempos cirúrgicos (extração da prótese da anca com limpeza, seguida da reimplantação da nova prótese da anca).

prótese da anca primaria é uma cirurgia previsível. Pelo contrario, a cirurgia de revisão da protese da anca, é uma cirurgia imprevisível, difícil, com custos mais elevados, exigindo grande treino, versatilidade no uso de múltiplas soluções, devendo ser por isso efectuada por cirurgiões experientes e em hospitais com capacidade de resposta. 

 

PROTESE DA ANCA BILATERAL

A artrose da anca frequentemente envolve as duas articulações. 

Por vezes ambas apresentando dor, rigidez e incapacidade que justifica a necessidade de tratamento cirúrgico.

 

 

Classicamente, a estes pacientes, é proposto o tratamento cirúrgico para as duas ancas em tempos diferentes, espaçados de um período mínimo de 4 a 6 meses. O tempo cirúrgico longo, a agressão cirúrgica major, as perdas sanguíneas, a necessidade de reposicionar o paciente a meio da cirurgia em nova posição, tudo isto implica um maior risco de complicações e foram a razão para esta atitude. 

 

 

As novas atitudes menos invasivas, os novos programas de reabilitação, as abordagens especiais, como a abordagem anterior direta ( AAD), permitem tratar estes pacientes com um risco cirúrgico semelhante ao do procedimento unilateral, na grande maioria dos pacientes sem necessidade de transfusão sanguínea, com protocolos de reabilitação sobreponíveis aos do procedimento unilateral.

O posicionamento do paciente em decúbito dorsal (deitado de costas) permite colocação de campos estéreis e realização do procedimento cirúrgico sem qualquer mudança ou ajustes entre as 2 cirurgias.

 

O tempo cirúrgico duplica, são usados dois implantes. No entanto o paciente é sujeito apenas a uma anestesia, a um internamento, a um processo de reabilitação.

 

O objectivo deste tratamento cirúrgico bilateral simultâneo é conseguir o máximo de eficiência no tratamento da coxartrose bilateral, sem aumentar os riscos anestésico-cirúrgicos.

 

pos-operatorio na cama em posiçao de conforto - 48 depois o paciente com ajuda de canadianas

 

Precisamos de algum tempo para nos convencermos,  e ainda mais para convencer o nosso primeiro paciente, sobres as vantagens do procedimento bilateral simultâneo. Realizamos o nosso primeiro caso no início de 2019. Desde essa altura, encorajados pelos resultados,  procurados por pacientes  que partilharam esta experiência, fomos aumentando o numero de casos (23 casos em total)

 

48 horas depois o paciente sobe e desce escadas

 

A artroplastia total da anca por abordagem anterior direta, bilateral em simultâneo, permite uma recuperação fácil e segura, com marcados benefícios pessoais, económicos e sociais. O procedimento cirúrgico tem menos custos:   uma anestesia, um internamento, uma ocupação de bloco, um gasto de fármacos, um processo de reabilitação. Naturalmente são realizados dois procedimentos cirúrgicos e usados dois implantes. O tempo de incapacidade laboral e de limitação pessoal, familiar e social é reduzido, pelas particularidades da técnica cirúrgica e porque o processo ocorre numa só vez.

 

 

Para estes pacientes, com coxartrose bilateral incapacitante,  este tratamento, prótese total da anca bilateral por abordagem anterior direta,  bilateral em simultâneo, é uma opção a privilegiar e a discutir com o paciente, nao apresentado inconvenientes e riscos cirúrgicos acrescidos em pacientes selecionados e indicados, levando à resolução do problema, num só tempo, de uma forma mais simples e rápida, com custos diminuídos e ganhos pessoais e sócio-económicos.

 
Protese bilateral por incisao tipo bikini. Retira o penso o 12º dia (Dermabond ®)
 

Em 24 meses operamos  23 pacientes, 4 mulheres e 19 homens, com idades compreendidas entre os 25  e os 65 anos (idade media de 51 anos).

Apenas foi efectuada transfusão de 1 U de sangue em 1 paciente.  O internamento foi de 3 dias em todos os pacientes, excepto 1 que esteve 2 dias e um 5 dias.

 

O protocolo de reabilitação é semelhante ao do paciente operado a apenas 1 anca. Levante com higiene, treinos de marcha e escadas a iniciar no 1º dia pós-operatório. Sem necessidade de ajudas externas como almofadas de abdução ou alteadores de sanita. O paciente caminha com carga total e ajuda de canadianas, que vai usar habitualmente por 4 a 6 semanas,  conseguindo retomar a marcha e a condução após este período.

 

Como referido na literatura, nao encontramos diferenças em termos de complicações major ou minor per e pos operatórias. O processo decorre como o usual na artroplastia total da anca por abordagem anterior direta

 

 

    

AVISO LEGAL: Este site foi desenvolvido com objectivo de prestar informação sobre a patologia da anca a doentes, médicos e outros profissionais de saúde. A informação contida neste website não pode substituir uma avaliação clinica. Não pode de modo algum ser utilizada para formular um diagnóstico ou propor um tratamento. Em nenhum caso pode substituir a consulta de um médico especialista

O conteúdo do website tem uma finalidade informativa, sendo a sua utilização da exclusiva responsabilidade dos utilizadores

Sondagem

Gostou do nosso site?

Sim 1.305 92%
Nao 119 8%

Total de votos: 1424